A infelicidade é uma opção pessoal, não um desígnio de Deus

A vida nem sempre é do jeito que esperamos, e isso tem um justo motivo. Todos estamos aqui para buscar transformação através do conhecimento, que nem sempre chega pelas vias mais fáceis.  Ultimamente têm acontecido certos fatos na minha vida que se transformam em importantes lições. Aí lembrei-me de um trecho do livro que escrevi, o qual transcrevo abaixo.
Espero que também lhe sirva como fonte de reflexão.
Se estiver a fim de comentar ou trocar ideias, estou à sua disposição no endereço viegas@workshop.com.br

 
Paz e Luz!

"Como de costume, após o jantar, a família está reunida para analisar os acontecimentos do dia.

Esta noite existe um motivo a mais — a presença do jovem cigano.

Marcos serve licor para todos e ergue um brinde.

— Estamos felizes com a presença de Juanito. Sinto que temos muito a aprender com ele. Agradeçamos a Deus os ensinamentos que nos proporciona através de um novo amigo. Eu abro a reunião com uma pergunta. O que você, Juanito, tem para nos ensinar?

Mesmo com toda a desinibição demonstrada durante o dia, não foi fácil para o cigano concatenar as ideias.

Precisou de alguns momentos para vencer o embaraço.

— Nunca, na minha vida, fui colocado numa situação destas. Não me passa pela cabeça ensinar quem quer que seja. Para o meu povo, somos simplesmente o que somos. Apenas procuramos viver o melhor que podemos.

— Mas o que é viver? — insiste Marcos.

— Acredito que viver é aproveitar cada momento alegre da vida como se fosse o último. Saboreá–lo como se faz ao degustar um vinho raro. Resumindo, o segredo do viver bem está em ser capaz de encontrar felicidade na infelicidade.

— Como é possível encontrar felicidade na infelicidade? — pergunta Caterina.

— Procuro encontrar felicidade aonde os outros apenas veem infelicidade. Como contei para Carlos, parte de mim está infeliz. Mas eu sou muito maior do que essa parte triste. Então, não é justo que uma parte de mim destrua o todo. Um cantinho do meu coração vai ficar triste, mas todo o resto precisa lutar para ser feliz. Acaba acontecendo que o maior vence o menor e a tristeza acaba indo embora ou, na pior das hipóteses, sendo esquecida por alguns momentos.

— Nunca tinha pensado nisso! — confessa Arturo.

— Verdade? — admira-se Juanito. — Pois são esses momentos, quando vividos intensamente, que trazem felicidade à nossa vida. Da mesma forma que esta vida é, proporcionalmente, um momento de felicidade em relação à eternidade. Sendo assim, porque não ser feliz?

— É muito sábia essa interpretação. Realmente não faz sentido viver infeliz. Mas de onde vem a força cigana, a vitalidade que vocês demonstram?

— A alegria e a força do povo cigano vêm da natureza."


Trecho extraído do livro "Consciência, o Caminho da Transformação" de autoria de Luiz Viegas

Comentários

Postagens mais visitadas