A que ponto chega a irracionalidade humana!


Na  foto, a equipe dos "meninos" do Santos Futebol Clube no programa do Jô Soares.
A notícia diz que logo no início, os jogadores levaram um "puxão de orelhas"  do Jô.
Motivo  -  Os jogadores foram visitar crianças portadoras de paralisia infantil e, como era uma instituição de caridade espírita, alguns jogadores, por adotarem outras religiões, se negaram a descer do ônibus para visitar as crianças.
Está aí o reflexo do condicionamento hipócita e dos valores distorcidos.
Afinal, o que tem a ver uma coisa com a outra?
Embora possam ser amparadas por uma instituição espírita, que religião poderá professar uma criança portadora de paralisia infantil?  E se  apesar da paralisia as crianças estiverem capacitadas a seguir esta ou aquela religião, será isso motivo para serem rejeitadas dessa maneira?
Gostariam esses jovens, ou outras pessoas que pensam da mesma forma, que se estivessem se afogando alguém deixasse de lhes estender a mão só porque cultuam uma religião diferente?
No final de contas, quantos deuses existem? Será que o Deus da minha religião é o melhor só porque é meu? Serei eu tão superior espiritualmente a ponto de ser capaz de me elevar a um Deus mais Deus?
Se fosse possível conversar com Deus, o que Ele diria em relação às guerras travadas em seu nome?
Ninguém poderá falar em nome de Deus. Mas que Ele não aceita essa postura dos que matam ou agridem em seu nome, disso eu tenho certeza. 
Ninguém venha dizer que luta pelo seu Deus. Deus não quer que irmãos lutem contra irmãos qualquer que seja o motivo, e muito menos por Ele. Deus quer que irmãos se juntem a irmãos para lutar sim... mas em seu nome contra a pobreza, as perseguições, a destruição da natureza, o racismo, a fome, a impunidade, a ganância, a droga e o pão dos pobres. Deus quer amor entre homens e mulheres de boa vontade.
Mas nós, seres humanos, perdemos o conceito de amor. Nossos EGOS estão doentes. Entramos em uma ciranda de destruição. Destruimos tudo que existe ao nosso redor para, por fim, nos destruirmos. Como filhos de Deus, bem que poderíamos usar o Poder para construir. Mas preferimos usar esse mesmo Poder para destruir.
A humanidade não evoluiu emocionalmente. 
Em termos de tecnologia, somos capazes de criar tudo que nossa mente doentia possa sonhar.
Mas em termos emocionais, continuamos crianças imaturas, incapazes de caminhar sózinhas.
Precisamos do pai para nos proteger. De forma egoísta, brigamos pela mão do pai.
Lá, no nosso inconsciente, sabemos que tudo isso é um grande erro.
Mas, como faziamos quando crianças, continuamos colocando a culpa no outro.
Só que neste caso o outro é Deus!
Isso mesmo! Nós culpamos Deus!
O Deus do próximo que consideramos inferior ao nosso.

Pense nisso!

Comentários

Jorge disse…
Caro Luiz António,
Magnífico texto, transmissor de uma lição moral para todos nós, que, por vezes, sobrepomos o nosso ego e preconceitos, às necessidades
dos outros; esquecendo-nos de que, só poderemos ser felizes, superando a ditadura do preconceito e ajudando desinteressadamente o próximo.
Um abraço amigo.
Jorge
Blog Azimute
http://kanimambo-puga.blogspot.com

Postagens mais visitadas