Os gênios enxergam além do horizonte!



Nunca fui um fã de Michael Jackson. Admirava algumas músicas, como admiro as boas obras de qualquer compositor. Mas, mais uma vez, a vida me fez atentar para duas importantes lições:

Primeira lição - é através da perda que aprendemos a dar valor ao que já possuíamos. Infelizmente foi preciso Michael partir para eu enxergar a sua genialidade.

Segunda lição - Os gênios são espíritos diferenciados. Conseguem enxergar o que poucos veem. São extremamente sensíveis e, na grande maioria das vezes, frágeis emocionalmente. Sabem que sua passagem pela terra não será longa. Daí os excessos que cometem. Eles pressentem que possuem um tempo menor para deixar suas marcas e cumprir suas missões. Como são diferentes, são considerados loucos. Afinal, o que é a locura senão uma forma diferente de ser?

Quando você se deparar com um gênio, ao invés de chamá-lo de louco, pense se não existe alguma forma de ajudá-lo a entender o mundo em que você vive. O dele, você jamais entenderá.

Os gênios deixam suas mensagens através das suas obras. E com Michael não poderia ser diferente.

A mensagem que nos deixou através da sua música "Earth Song" (Canção da Terra), fala por si. Os responsáveis pelo destino do planeta Terra, assim como cada um de nós, deveria ouví-la e procurar as respostas para os questionamentos que ele faz.

É impossível que com tudo que está acontecendo, nós, seres humanos, não tomemos uma atitude imediata para impedir a total destruição.

Afinal, que tipo de gente somos nós? Que loucura é essa que nos leva a destruir para depois reconstruir?

Como perguntam as crianças do coral: O que será de nós?

Sim, o que será de nós se continuarmos deixando nossos EGOS comandarem nossa atitude?

Pense nisso!

Além das músicas "Ben" e "Earth song" de Michael Jackson, chamo a sua atenção para o violino e orquestra de André Rieu e a magnífica voz da soprano brasileira Carmen Monarcha.


Comentários

Postagens mais visitadas