Educação é questão de consciência

A notícia é clara - "Um relatório encomendado pelo Ministério da Educação informa que apenas um terço das metas do Plano Nacional de Educação, criado em 2001, foram cumpridas até agora, segundo o jornal Folha de S.Paulo".

O que se pode esperar do futuro de um país onde 50% das crianças entre 0 e 3 anos deveriam estar matriculadas em creches, mas apenas 18,1% tiveram essa oportunidade?  Como farão os 14 milhões de pessoas com mais de 15 anos que continuam sem saber ler e escrever, para conseguir um emprego em plema Era da Tecnologia?

É por isso que empregos existem. O que falta são pessoas qualificadas para ocupá-los.

É fácil dizer-se que as pessoas são iguais em direitos tanto pelas Leis de Deus como pelas leis dos homens. Pelas Leis de Deus, poderá ser. Mas pela dos homens, com certeza não.

Quer ver um exemplo disso?

Vamos usar as crianças como exemplo e comparar uma escola pública com uma escola privada.
Quem você acha que terá mais chances - veja bem, estou me referindo aos alunos normais, que são a grande maioria, e não aos superdotados que conseguem, com sua inteligência, vencer as dificuldades - de cursar uma faculdade pública? Com certeza os que têm poder aquisito para frequentar uma escola privada, concorda?

Essas escolas colocam à disposição de seus alunos (bem dormidos, bem vestidos, bem alimentados e muito amados) bons mestres,  laboratórios completos, computadores para pesquisas e métodos pedagógicos eficazes.

Mas o mesmo já não acontece com as escolas públicas, aonde falta tudo para crianças que, por natureza, já não têm nada. Nessas escolas faltam vagas,  merenda, laboratórios, carteiras, e muitas vezes até mesmo boa vontade de alguns professores que se consideram mal pagos, mas muito explorados.

Então, dizer que as pessoas são iguais nos seus direitos, é pura falácia. 

Mas esse desequilíbrio não acontece apenas na educação. Também está presente em outra áreas, talvez até mesmo mais vitais do que a educação, porque são essenciais à vida. Estou me referindo à saúde, alimentação e moradia.

Se você reparar  bem, embora os governos falem muito em inclusão, tudo que eles não querem é inclusão, como comprovam os investimentos nessas áreas. Para comprar armamento nunca falta  dinheiro. Mas para a educação, sempre falta. Pois é! Desconhecimento gera medo, e pessoas medrosas, são mais facilmente manipuláveis. Não é exatamente isso que as igrejas fazem aos seus devotos fiéis?

Questiono-me sobre o que nós podemos fazer para mudar esta situação. Em termos de massa, podemos fazer muito pouco. Mas se você puder ajudar uma única pessoa, fez a sua parte e já valeu a pena ter vindo a esta vida.

Mas precisamos ter consciência do que acontece à nossa volta para estar em condições de comparar e agradecer. Você, que teve condições de estudar em boas escolas, tem casa para morar, boas roupas para vestir,  comida mais do que suficiente até mesmo para engordar, médicos e hospitais à disposição, um bom emprego, e uma família para amar e ser amado, não perca a oportunidade de agradecer a Deus.  Quem não agradece é ingrato. E aos ingratos, poderá ser tirado tudo que lhes foi dado.
Pense nisso!

Comentários

Postagens mais visitadas