O que tiver que ser, será!









Se existe uma frase que sempre me incomodou foi essa - o que tiver que ser, será!

Os árabes dizem Maktub - está escrito!

Eu fico me questionando sobre o Deus das pessoas que acreditam que o enredo das suas vidas já está por aí, escrito em algum livro celestial.  Que Deus será esse que determina, passo a passo, as alegrias e infortúnios a que cada um de seus filhos será submetido? Se tudo está "religiosamente determinado", do que adianta, então, o esforço das pessoas que tentam ser hoje melhor do que foram ontem?  Se eu estou, por exemplo, passando por um momento de dificuldades, devo acreditar que tudo está previsto no meu Livro do Destino e deixar as coisas fluirem naturalmente, esperando pacientemente o término da má fase? Não seria melhor tomar consciência de que  estou colhendo o resultado das minhas escolhas e ter a atitude de tentar outros caminhos?

Eu não tenho qualquer dúvida que a segunda opção é a mais frutífera.

Eu acredito em um Deus que, além de todos os superlativos que possamos encontrar, é paciente, justo e coerente.

  • Paciente, para esperar - infinitamente - o momento de tomada de consciência de cada um dos seus filhos, aconteça nesta vida ou em encarnações futuras;  
  • Justo, para saber reconhecer o esforço que cada um faz para deixar a sombra e caminhar para a luz, e
  • Coerente, para fazer prevalecer o livre-arbítrio com que dotou cada um dos seus filhos, que lhes dá o direito de fazerem das suas vidas o que bem entenderem,  conscientes de que a colheita será proporcional em quantidade e qualidade, à sementeira.  
Cada um de nós tem, sim, um livro personalisado. Não o do Destino, é claro! Mas um livro cujas páginas brancas vai preenchendo, com as cores correspondentes aos resultados das suas escolhas.

É muito cômodo sair por aí cometendo imprudências e satisfazendo todas as vontades do Ego, e culpar Deus pelo resultado desastroso. Qual de nós nunca blasfemou algo do tipo: E aí, Deus, porque deixaste que acontecesse isso comigo?

Se, nessas horas, pudéssemos ficar diante de Deus, com certeza ouviríamos algo parecido com:

"Não Me comprometa. EU não deixei nada! Você se acha senhor do seu nariz, não acha? Sabe exatamente o que deve fazer, mas faz exatamente o contrário, verdade? Também sabe muito bem que pela lei do retorno, o que vai, volta, não sabe? Pois agora é o momento de receber o resultado do que semeou". 

É isso aí! Se você acredita em que tudo está escrito, aproveite este momento para refletir e ver o tipo de Deus em que você está acreditando.

Deus até escreve certo por linhas tortas, mas nós podemos ajudar a endireitar essas linhas, não podemos?

Comentários

Postagens mais visitadas