terça-feira, 9 de março de 2010

Alguns jovens sabem o caminho. Siga-os!

Essa jovem do vídeo abaixo está mostrando o caminho.

Os jovens, de boa vontade, precisam olhar o exemplo dessa jovem e lutar pelo seu mundo, e pelos seus direitos.

As crianças e a juventude atual terão direito a herdar um mundo senão melhor, pelo menos igual ao que os seus avós e seus pais herdaram.

Mas a ganância dos poderosos está destruindo o planeta e, portanto, suas vidas.

Você, que é jovem, saia do seu comodismo e comece a agir. Defenda a sua felicidade. Reivindique seus direitos. Ponha a boca no mundo! Peque por excesso, e nunca por omissão. O seu comodismo será a sua destruição.

Se não sabe o que fazer, junte-se a um grupo. Diversas cabeças pensam melhor que uma. Além das ideias, o grupo proporcionará a força que você precisa para iniciar a caminhada rumo a um mundo melhor.

Pense nisso!


domingo, 7 de março de 2010

É hora de tirar as máscaras!



Notícia: Já houve pesquisas no passado que mostraram que pessoas usando capuz, onde não se dá para ver sua face, são mais propensas a cometer crimes ou se comportar mal. Segundo o site LiveScience, agora uma pesquisa da Escola de Gerenciamento da Universidade de Toronto mostrou que o mesmo pode acontecer quando o ambiente está à meia-luz ou quando a visão da pessoa está mais escurecida. Ou seja, a sensação que ninguém está olhando aparentemente nos dá a liberdade de trapacear.
Tal como um ator que usa máscaras para representar um determinado papel, as pessoas também usam máscaras (originário do grego “personas”) na vida real, para se adaptarem aos diversos meios em que vivem. Colocando máscara sob máscara, vão formando a sua personalidade. Mas, considerando que cada meio exige uma máscara — a máscara marido, amigo, profissional, pai, religioso, amante… as pessoas acabam se confundindo em relação a quem verdadeiramente são — se o pai amoroso, o marido romântico ou o executivo durão, e interpretam o papel errado nas cenas certas.
Agora vem essa notícia, reforçando a ideia de que o uso da máscara permite, à pessoa, fazer o que não faria de cara  a descoberto. A falsa sensação de que eu de máscara não sou eu, me induz a agir de forma inadequada. Outro dia filosofava eu com o amigo Eurípedes sobre o seguinte questionamento — “Vocês fazem as vossas coisas com intenção ou fazem as vossas coisas por indolência, por crença ou por hábito?”. Me valendo do resultado da pesquisa, eu responderia que nós fazemos as coisas com “máscaras”. Se pudéssemos tirar todas essas máscaras, daríamos oportunidade ao afloramento da verdadeira intenção para cada um dos nossos atos. Aí sim, teríamos mais chance de representar o real papel do nosso verdadeiro EU, interpretar o papel certo nas cenas certas e, quem sabe, atingir um nível um pouco mais elevado da nossa consciência.
Pense nisso!

terça-feira, 2 de março de 2010

É pura questão de consciência

Ou nós, seres-humanos, descobrimos que estamos navegando em plena Era da Espiritualidade e fazemos as mudanças necessárias para trilhar caminhos mais adequados a essa realidade, ou em breve perceberemos que estamos construindo o caos e caminhando para o início do fim.
Aí acontecerá o que sempre acontece - nos arrependemos e prometemos mudar. Eu não sei! Mas vendo o que está acontecendo à minha volta, sinto que desta vez o preço vai ser muito alto.
As mudanças se fazem de duas formas - pelo amor ou pela dor. Infelizmente a grande maioria das pessoas escolhe a pior delas - a dor.
Pense no que você poderá mudar a partir de hoje. Talvez com uma pequena atitude... uma decisão simples que seja... você possa colocar mais amor na sua vida.
Consciência é isso - é amor.
Eu não sei por quê, mas as pessoas têm medo de se amar para poder amar o próximo.
Pense nisso!


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Certeza




De quase nada temos certeza!
Apenas de que estamos vivos...
Ou de que vamos vivendo ...
Para um dia morrer.
Mas até lá, de um jeito ou de outro...
É necessário continuar a viver.



CERTEZA

Fernando Sabino


De tudo ficaram três coisas:
a certeza de que estamos sempre começando...
a certeza de que é preciso continuar...
a certeza de que seremos interrompidos
antes de terminar...

Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Tente outra vez!

Se você anda meio desanimado...
Se a sua vida não está sendo do jeito que você esperava...
Ouça esta música.
Medite sobre a sua mensagem...
E continue caminhando e tentando.

Através dela desejo homenagear as pessoas que, apesar das dificuldades, ainda encontram forças para continuar caminhando e o tecladista do Barão Vermelho, que aparece tocando no início do vídeo - Maurício de Barros - meu primo com muito orgulho.




Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha em fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!...

Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!...

Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça agüenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!...

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!...

Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!...

Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!...

Uma viagem ao passado.




Viajar no tempo faz bem.
Reviver os momentos felizes revigora o espírito, e comprova que a felicidade não é um "continuum", mas a soma de pequenos bons momentos.
Esta foto me leva a um passado distante, mas feliz.
Essa foi a escola aonde comecei a aprender a ler. Pelo que pude ver, o crescimento também andou por lá. No meu tempo, não havia o segundo andar. A escola está situada em Vilarinho da Castanheira - Portugal - mais precisamente em um lugar chamado Senhora da Fé. Aqui, pelas mãos de um grande mestre, dei os primeiros passos na minha formação cultural e, sobretudo, do caráter. Hoje, eu entendo o que na época odiava - as cobranças firmes e às vezes até punitivas.
O professor Josè  Emídio Barbosa, era meu primo por parte de minha avó.  E por isso o mais cobrado era sempre eu. Quando precisava repreender ou mesmo dar umas palmadas com a temida palmatória, eu era sempre o primeiro da fila. Não porque fosse o pior da turma. Mas, como ele dizia: És meu primo e precisas dar o exemplo.
Ainda me lembro - isso não dá para esquecer - dos comentários do professor nas festas dadas pela minha avó Purificação Cordeiro Barbosa. Na frente da pessoas mais ilustres do local, enquanto bebia alguns copos do bom vinho da nossa colheita e comia os saborosos doces que minha avó fazia, ele ia comentando como eu reagia quando a palmatória cantava. Eu gritava: "Já chega senhor professor". E ele dizia: "Chega nada! Tens que levar as palmadas todas". Nâo é necessário dizer que eu morria de vergonha!
Olhando para o que acontece hoje em dias nas escolas, agradeço a esse grande educador, que tão bem soube me dar a base que eu necessitava para continuar caminhando com firmeza e segurança. Com toda simplicidade de um professor de aldeia, ele sabia o que estava fazendo.
Os jovens do meu tempo eram diferentes dos jovens de hoje.
Mas, se os pais e educadores atuais impusessem mais limites às suas crianças e jovens, eu não tenho dúvida de que estariam contribuindo para a formação de um mundo melhor e mais feliz. 
Meu amigo professor Barbosa. Aonde quer que esteja, aqui fica o meu muito obrigado.

Você sabe para onde está caminhando?

Pare um pouco para pensar de que forma você vem atuando na sua vida. No que tem feito de certo, ou até mesmo no que tem errado.
Acredite! Nada, mas nada mesmo, você fez com outro objetivo senão o de se sentir bem - ser feliz. Nem sempre é o certo, e nem sempre dá certo! Muitas das nossas ações, feitas na melhor das boas intenções, acabam dando errado e trazendo mais problemas do que soluções.
Mas, quando as fizemos, a intenção era boa. Acreditávamos que, de alguma forma, acabariam proporcionando alguma satisfação.
Infelizmente, essa é uma verdade que tem causado muitas tristezas e até desgraças.
Na maioria das vezes, pensamos e agimos de acordo com a nossa emoção. Deixamos que ela - emoção - tome conta de nossa mente, direcione nossos atos e comande nossas vidas, sem perceber que estamos caindo em uma armadilha perigosa, quando não fatal. É o EGO comandando o EU!
Sim! Desejar faz parte da vida, tanto quanto o alimento ou o oxigênio. Sonhar dá sentido à vida e faz-nos sentir que existimos. Pensar é existir, e sonhar é viver! Porém, saber desejar é a verdadeira magia da vida. É o equilíbrio entre o TER e o SER. Com certeza você já viu, escrita na trazeira de um caminhão, a frase - "Não tenho tudo que amo, mas amo tudo que tenho", não viu? Pois é! Um humilde caminhoneiro, sem saber, divulga uma das chaves da Consciência, que se traduz no saber abrir mão de algo que embora desejemos, possa vir a causar sofrimento para nós ou para alguém.
Todos, indistintamente, nada mais procuram do que ser felizes e caminhar em direção aos braços do Criador, qualquer que seja a forma ou imagem que dele façam.
Não podemos mais acreditar em acaso. Como dizia Einstein - "Deus não joga dados com o Universo".
Não é por acaso que a nossa nave está navegando em pleno Terceiro Milênio - tido como o do Conhecimento - e que o século XXI esteja sendo considerado como o do espírito. Como dizem os estudiosos, talvez de forma até mesmo radical, este será o século da espiritualidade ou não será!
Pense nisso!
Namastê

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Eu só peço a Deus. Você me acompanha nessa oração?

Que ao escutar esta mensagem as pessoas se conscientizem de que a hora é esta. Amanhã poderá ser muito tarde.
Já não dá mais para permanecer impassível, apenas observando os acontecimentos. Cada dia que nos calamos ou deixamos de tomar uma atitude, morremos um pouco.

Chega de indiferença...
Chega de injustiça social...
Chega de miséria...
Chega de agressão...
Chega de guerra...
Chega de mentira...
Chega de corrupção...
Chega de politicagem...

Comece a agir em você.
Isso bastará para fazer um mundo melhor.
Acredite!
Você não vai continuar indiferente, vai?


Agora ouça a mensagem do vídeo e acompanhe a letra abaixo.

Eu só peço a Deus...
Que a dor não me seja indiferente,
Que a morte não me encontre um dia,
Solitário sem ter feito o que eu queria.

Eu só peço a Deus...
Que a injustiça não me seja indiferente,
Pois não posso dar a outra face,
Se já fui machucado brutalmente.

Eu só peço a Deus...
Que a guerra não me seja indiferente,
É o monstro grande pisa forte,
Toda pobre inocência dessa gente.

Eu só peço a Deus...
Que a mentira não me seja indiferente,
Se um só traidor tem mais poder que um povo,
Que este povo não esqueça facilmente.

Eu só peço a Deus...
Que o futuro não me seja indiferente,
Sem ter que fugir desenganado,
Pra viver numa cultura diferente.

SE EU PUDESSE DEIXAR ALGUM PRESENTE A VOCÊS,
DEIXARIA ACESSO AO SENTIMENTO DE AMAR A VIDA DOS SERES HUMANOS,
A CONSCIÊNCIA DE APRENDER TUDO QUE FOI ENSINADO PELO TEMPO AFORA.
LEMBRARIA OS ERROS QUE FORAM COMETIDOS,
PARA QUE NÃO MAIS SE REPETISSEM,
A CAPACIDADE DE ESCOLHER NOVOS RUMOS.
DEIXARIA PARA VOCÊS, SE PUDESSE,
O RESPEITO ÀQUILO QUE É INDISPENSAVEL.
ALÉM DO PÃO, O TRABALHO.
ALÉM DO TRABALHO, A AÇÃO.
E, QUANDO TUDO MAIS FALTASSE, UM SEGREDO...
O DE BUSCAR NO INTERIOR DE SI MESMO A RESPOSTA E A FORÇA PARA ENCONTRAR A SAIDA.

(MAHATMA GANDHI)


(O jogo dos 10x1) - A corrente da consciência

Parafraseando Martin Luther King um dia eu tive um sonho. Sonhei que existem alternativas para construir um mundo melhor, desde que haja interesse por parte dos tais "homens e mulheres de boa vontade" como disse Jesus.

A minha idéia é que 10 famílias se unam para ajudar uma família necessitada. Não se trata de dar apenas comida - isso é muito fácil - mas ir um pouco mais além... visitar, orientar... dar apoio sócio-emocional... em resumo, tentar reincluir essas pessoas à sociedade e fazer com que se sintam gente como a gente.

Na época, abri uma comunidade no orkut, e rapidamente cheguei a 1.000 pessoas que apoiavam a iniciativa. Acho que agora chegou o momento de arregaçar as mangas e fazer acontecer. Fazer algo para melhorar o mundo que nos cerca é questão de consciência.

Quem sabe, começamos a fazer alguma coisa, você aí e eu daqui?

Se quiser trocar idéias é só enviar um e-mail para viegas@workshop.com.br

Um grande abraço.


terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Quem será mais irracional?

Quem será mais irracional, o ser-humano ou os animais?

O que será necessária fazer para subirmos pelo menos um degrau do nível de consciência?

Assista a este vídeo e tire suas conclusões.








quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Gratidão é questão de consciência

Rio de Janeiro. Uma tarde de sábado. O telefone tocou.
Uma voz com sotaque português procura pelo Luiz António. Me pergunta quando vou aparecer.

- Mas, aparecer aonde? - perguntei.
- Ná Rádio Vera Cruz - responde
- E quem fala?
- É o Joaquim Pimentel.

No dia seguinte, com o violão a tiracolo, eu apareci na rádio. Estava tranquilamente sentado no auditório lotado, assistindo ao programa, quando ouço Joaquim Pimentel dizer: E agora tenho o prazer de lhes apresentar um jovem cantor que está começando a despontar. Com as senhoras e com os senhores, Luiz António!
Eu não esperava! Nada fora combinado. Mas foi uma surpresa fantástica. Foi desse jeito que iniciei os meus passos pela carreira artística.
Como o meu blog é voltado para questões da consciência - e gratidão é consciência pura - aqui estou para prestar uma homenagem a esse grande amigo Joaquim Pimentel.


O seu desejo ao alcance das mãos









Todo o ser humano tem desejos!
Desejar está para o homem assim como a luz está para a natureza e o oxigênio está para a célula. Desejar é sonhar e sonhar é viver.
É o desejo que faz o homem evoluir, ir em busca do infinito e muitas vezes até mesmo do que parecia impossível.
Por que será que algumas pessoas desejam o melhor para si e acabam alcançando, enquanto outras que desejam a mesma coisa não chegam nem perto?
Será apenas uma questão de merecimento? Será um castigo?
Sem entrar no mérito filosófico-religioso do tema, podemos afirmar que o sucesso transcende a simples premissa do merecimento, tendendo muito mais para a força de vontade e do saber querer.
Embora o desejo seja algo inato, inerente ao ser humano, muitas pessoas simplesmente não sabem desejar e como conseqüência atravessam uma vida inteira sem ter a felicidade de ver os seus sonhos realizados.
Mal sabem elas que muitas vezes a felicidade almejada, resultante da concretização dos seus desejos, está literalmente ao alcance das suas mãos.
Muitas pessoas lutam a vida inteira com situações de difícil controle, como por exemplo, o excesso de peso e o vício de fumar ou de beber.
Mas infelizmente são poucas as que têm a felicidade de vencer essas dificuldades.
Falta-lhes determinação, um bom motivo para lutar e muitas vezes até mesmo senso de organização.
Quando afirmo que a concretização dos seus desejos está ao alcance das suas mãos, faço-o por dois motivos.
Primeiro, porque apenas você é o timoneiro da sua vida, sendo o único capaz de dar a ela o rumo que bem deseja.
Segundo, porque utilizando a fórmula “Mãos”, você terá uma grande probabilidade de se sair vencedor, uma vez que terá exatamente na sua mente o que quer, porque quer, quando quer e como vai chegar lá.
O que é exatamente a fórmula:“MÃOS”?
Bem, o “M” é de “MOTIVO”.
Quando se pensa em mudar alguma coisa, ainda mais quando se trata de mudança comportamental, a primeira coisa a procurar é um bom motivo.
Toda a mudança é de certa forma dolorosa. Se não existir um motivo bem forte e vivo na sua mente, a vontade acabará sendo vencida pela acomodação e pelas dificuldades, e tudo acabará caindo por terra.
Você, que deseja parar de fumar ou perder alguns quilos, pegue agora uma folha de papel e escreva alguns motivos que seriam capazes de fazer você suportar todos os sacrifícios necessários para chegar onde quer.
Por exemplo, você que deseja perder alguns quilinhos, qual seria o seu grande motivo?
Aparecer melhor aos olhos de alguém? Sentir-se melhor quando se olha no espelho? Poder vestir as roupas da moda? Melhorar a sua saúde? Correr a maratona? Melhorar o desempenho nas partidas de tênis com aquele colega que ganha todas?
Após listar os diversos motivos, escolha um. Aquele que, na sua opinião, tocou mais fundo e que tem força suficiente para merecer tanto sacrifício.
Esse “será o “seu “ Motivo”.
Coloque na sua mente a imagem do que você pretende.
Procure se ver lá na frente. Feliz com você mesmo por ter alcançado algo que parecia impossível! Não deixe que essa imagem se dissipe da sua mente. Quanto mais viva e real, mais força você terá para lutar.
O passo seguinte, o “A” é de “AÇÃO”.
Defina agora uma forma de agir em função do Motivo escolhido.
Se o seu problema continua sendo a perda dos quilinhos, defina como vai agir para perdê-los.
Procurar um médico? Fazer exercícios? Caminhar diariamente? Controlar o apetite? Freqüentar um “Spa”? Tudo isso junto?
Tenha em mente que a Ação é talvez o item mais importante desta fórmula.
Por mais vontade que você tiver e por melhor que seja o Motivo, se não agir, nada irá acontecer.
Procure não se isolar. Procure a força e a motivação nos seus familiares ou no seu grupo de amigos. Deixe-os saber do desafio ao qual você pretende submeter-se. Vai ter uma agradável surpresa. Eles não só incentivarão e apoiarão, como poderão até mesmo aderir à “brincadeira”!
E se o objetivo escolhido foi aparecer melhor aos olhos de alguém, deixe essa pessoa saber. Ela não só se sentirá lisonjeada por merecer esse seu sacrifício, como acima de tudo será a sua grande incentivadora!
Quero neste instante chamar a sua atenção para o seguinte detalhe. Perceba que um bom Motivo mais a Ação serão os responsáveis pela sua “MOTIVAÇÃO“. Pois motivação nada mais é do que um motivo para você agir. Me dê um bom motivo que eu ajo”. Afinal não é assim que você normalmente pensa?
O terceiro passo é o “OBJETIVO”.
Muitas pessoas já tentaram mudar alguns hábitos e acabaram desistindo pelas enormes dificuldades encontradas. Talvez você mesmo já tenha tentado parar de fumar ou reduzir o seu peso e não foi feliz!
O que terá acontecido?
Você se preocupou em traçar “Objetivos Intermediários” para atingir o grande objetivo? Ou simplesmente pensou, vou emagrecer ou vou deixar de fumar?
Se você tem hoje um carro usado e tem por objetivo conseguir um do ano, será que não será mais conveniente partir primeiro para um mais recente e depois, numa outra etapa, comprar o carro do ano?
Continuando no nosso exemplo, se você colocou como objetivo perder 30 quilos de peso, como vai atingir isso. Em um mês? Dois? Três?...
Tenha em mente que a escalada de uma grande montanha não é feita em um dia, mas sim em pequenas etapas que vão se tornando mais difíceis à medida que nos aproximamos do topo!
Se o seu médico lhe disser que você, para conservar sua saúde, necessita perder 30 quilos, a primeira reação que você vai ter é chamar o médico de louco e sair porta fora achando a missão impossível!
Mas se o médico disser que você precisa perder 3 quilos por mês, certamente vai achar essa missão até possível. Vai prometer que vai tentar e com toda a certeza vai conseguir.
O que mudou? Nada! Apenas a variável tempo.
Quebrar um Objetivo Principal em pequenos objetivos é um truque para “enganar” o nosso lado racional, impedindo as barreiras que normalmente levam ao desânimo. Perder 30 quilos é loucura. Mas perder 30 quilos em 10 meses, bem isso é bem possível!
É um efeito puramente psicológico, mas que funciona.
É melhor você definir objetivos pequenos e alcançáveis, do que querer chegar muito rápido e acabar ficando pelo caminho, triste e desiludido.
E por fim, o “S” da palavra “Mãos”, significa “SEGUIMENTO”.
Seguir de “controlar”, de “acompanhar”.
Se você já escolheu o seu motivo, já começou a agir e definiu os objetivos intermediários, agora o passo seguinte é controlar.
Se definiu que vai perder 3 quilos por mês, não fuja mais da balança! Ela será a partir de agora uma grande amiga e aliada. Todo o dia 30 procure se pesar. Veja o resultado!
Se você atingiu o Objetivo, sem dúvida vai sentir-se muito orgulhoso. Pensará que o Plano está dando certo e o seu “Ego” estará pronto para enfrentar uma nova etapa.
Se você não conseguiu chegar lá, mas reduziu algum peso, comemore da mesma forma! Afinal foi uma vitória dura, consciente e programada.
Habitue-se a comemorar sempre as vitórias, mesmo que pequenas.
Afinal essa pequena vitória serviu para mostrar que pode dar certo. Depende apenas de um pouco mais de esforço de sua parte.
Se a balança mostrar que nada aconteceu, não se desespere.
Pense mais firme no seu motivo. Veja se ele ainda tem a força necessária para justificar tanto sacrifício. Se não tiver, procure outro. Afinal sempre existe algo pelo que lutar!
Se o motivo continuar firme e forte, se dê mais uma chance. Você nasceu para ser feliz da forma como idealizou. Não desanime nunca!
Pense que é você quem deve ter o controle da sua vida, e que a cada novo ano são lhe concedidos mais trezentos e sessenta e cinco dias para recomeçar.
Dessa forma o seu desejo não só estará sempre ao alcance das suas mãos, como, e o mais importante, poderá ser atingido.
No entanto não se iluda!
Nenhuma mudança será fácil. Sempre existe um alto preço a ser pago.
Mas além do seu Motivo ser muito importante, você merece ser feliz! E quando estiver lá na frente e olhar a estrada pedregosa que percorreu para chegar onde está, prepare-se para estufar o peito e com muito orgulho gritar a plenos pulmões:
“Eu sou um vencedor. Eu consegui!”
Mas o seu problema não é deixar de fumar, nem perder peso? O que você quer é projetar-se na empresa e alcançar cargos mais elevados?
Pois a fórmula das “Mãos” também poderá ajudá-lo neste caso.
Você sabe qual o “Motivo” desse desejo? Como você vai “Agir” para chegar lá? Qual o “Objetivo” a ser alcançado? Como vai “Seguir” os resultados alcançados?...

O que tiver que ser, será!









Se existe uma frase que sempre me incomodou foi essa - o que tiver que ser, será!

Os árabes dizem Maktub - está escrito!

Eu fico me questionando sobre o Deus das pessoas que acreditam que o enredo das suas vidas já está por aí, escrito em algum livro celestial.  Que Deus será esse que determina, passo a passo, as alegrias e infortúnios a que cada um de seus filhos será submetido? Se tudo está "religiosamente determinado", do que adianta, então, o esforço das pessoas que tentam ser hoje melhor do que foram ontem?  Se eu estou, por exemplo, passando por um momento de dificuldades, devo acreditar que tudo está previsto no meu Livro do Destino e deixar as coisas fluirem naturalmente, esperando pacientemente o término da má fase? Não seria melhor tomar consciência de que  estou colhendo o resultado das minhas escolhas e ter a atitude de tentar outros caminhos?

Eu não tenho qualquer dúvida que a segunda opção é a mais frutífera.

Eu acredito em um Deus que, além de todos os superlativos que possamos encontrar, é paciente, justo e coerente.

  • Paciente, para esperar - infinitamente - o momento de tomada de consciência de cada um dos seus filhos, aconteça nesta vida ou em encarnações futuras;  
  • Justo, para saber reconhecer o esforço que cada um faz para deixar a sombra e caminhar para a luz, e
  • Coerente, para fazer prevalecer o livre-arbítrio com que dotou cada um dos seus filhos, que lhes dá o direito de fazerem das suas vidas o que bem entenderem,  conscientes de que a colheita será proporcional em quantidade e qualidade, à sementeira.  
Cada um de nós tem, sim, um livro personalisado. Não o do Destino, é claro! Mas um livro cujas páginas brancas vai preenchendo, com as cores correspondentes aos resultados das suas escolhas.

É muito cômodo sair por aí cometendo imprudências e satisfazendo todas as vontades do Ego, e culpar Deus pelo resultado desastroso. Qual de nós nunca blasfemou algo do tipo: E aí, Deus, porque deixaste que acontecesse isso comigo?

Se, nessas horas, pudéssemos ficar diante de Deus, com certeza ouviríamos algo parecido com:

"Não Me comprometa. EU não deixei nada! Você se acha senhor do seu nariz, não acha? Sabe exatamente o que deve fazer, mas faz exatamente o contrário, verdade? Também sabe muito bem que pela lei do retorno, o que vai, volta, não sabe? Pois agora é o momento de receber o resultado do que semeou". 

É isso aí! Se você acredita em que tudo está escrito, aproveite este momento para refletir e ver o tipo de Deus em que você está acreditando.

Deus até escreve certo por linhas tortas, mas nós podemos ajudar a endireitar essas linhas, não podemos?

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Um dia alguém vai colher...










Da janela vejo velas...
Brancas, verdes, amarelas.
Vejo barcos que flutuam,
Vejo homens a remar.
As redes já estão lançando,
Têm pressa de voltar.
Da janela vejo a vida,
Vejo a terra colorida,
Vejo gente que caminha,
Sem saber como chegar!
E se chegam? Por que chegam?
Não sabem como voltar!
Já não vejo tantas flores,
Mais solidão do que amores.
Vejo braços, sem abraços,
E beijos sem emoção.
Vejo corpos que se usam,
Passando de mão em mão.
Da janela vejo o tempo,
Que não perdoa ao passar.
Pinta os cabelos de branco,
Faz de saudade chorar.
Não vou ficar na janela,
P’ra ver a vida passar.
Vou sair! Quero viver!
Vou fazer acontecer!
E se flores eu plantar,
Um dia alguém vai colher.

Luiz Viegas

A consciência é a única força capaz de mudar o destino da humanidade.

Este blog foi criado para desafiar os leitores a pensar sobre a forma como estão utilizando uma das principais características ...